Nossa música de hoje é bastante conhecida no meio evangélico. Cantada desde apresentações de crianças, até no momento do louvor congregacional, milhares de pessoas têm entoado esta letra e buscado louvar ao Senhor por meio dela.

Entretanto, embora tenha um apelo emocional bastante forte, porque trata de uma das coisas mais importantes para o ser humano (o se sentir amado por Deus), precisamos verificar se o conteúdo condiz com as doutrinas bíblicas, a fim de que adoremos ao Senhor conforme Sua Palavra.

Registramos, em tempo, que esta música foi disponibilizada em um CD/DVD “Criancas Diante do Trono” e ela aparece após uma personagem de nome “Bia” se sentir feia com sua pele morena e seus cabelos encaracolados, querendo levar as crianças que assistem ao vídeo, à reflexão de que todos são lindos ao olhos de Deus. Todavia, como esta música é também cantada em algumas igrejas durante o culto, a analisamos à partir deste enfoque congregacional. Vamos à análise.

Aos olhos do Pai
Você é uma obra-prima que Ele planejou
Com suas próprias mãos pintou
A cor de sua pele, os seus cabelos desenhou
Cada detalhe num toque de amor.

A música inicia com declarações que remontam ao que, supostamente, o Pai estava “pensando” quando criou cada pessoa. O intento é demonstrar que o indivíduo foi criado de maneira única e majestosa pelo Pai. Ainda: procura transmitir o ideal de que cada coisa criada no ser humano, foi feita com um “toque de amor”.

A ideia de que o homem foi criado à imagem e semelhança de Deus, com certeza é bíblica, bastando lermos os dois primeiros capítulos de Gênesis. Um dos problemas, contudo, é que a estrofe coloca, apenas, o Pai como criador, sendo que a Bíblia ensina que Cristo também estava na criação (João 1).

Outro ponto delicado é que o amor de Deus é frequentemente mal entendido. A Bíblia diz: “O Senhor fez todas as coisas para atender aos seus próprios desígnios, até o ímpio para o dia do mal” (Pv 16.4). Falando do iníquo Faraó, na época de Moisés, o apóstolo escreve: “Porque diz a Escritura a Faraó: Para isto mesmo te levantei; para em ti mostrar o meu poder, e para que o meu nome seja anunciado em toda a terra” (Rm 9.17). Vemos, assim, que nem sempre todas as pessoas são criadas “num toque de amor”, porque algumas são criadas a fim de serem vasos para desonra (Rm 9.21-22).

Você é linda demais, perfeita aos olhos do Pai
Alguém igual a você não vi jamais
Princesa Linda demais, perfeita aos olhos do Pai
Alguém igual a você não vi jamais.

Consideraria o que fiz sobre a estrofe anterior, aqui também. Acrescentando, no entanto, que se esta e a anterior forem destinadas, única e exclusivamente para crentes, a situação é até contornável. E assim o é porque se olharmos para a Bíblia, em Cristo, o crente se torna perfeito, ou seja, cumpridor de toda a Lei de Deus. Cristo, ao obedecer cada preceito divino, cumpriu tudo em favor dos Seus filhos, os tornando aceitáveis ao Pai, mediante a adoção em Jesus (Ef 1.5).

Nunca deixe alguém dizer, que não é querida
Antes de você nascer, Deus sonhou com você.

Diante de Deus somos amados, é verdade. Inclusive, somos chamados de “amigos de Cristo” (Jo 15.15), uma vez que agora os mistérios do Reino nos foram revelados.

Agora existe algo que precisa ser levantado nesta parte: “Deus sonhou com você”. Não devemos ser prepotentes e sair crendo que entendemos a intenção do autor ao escrever a música, mas há a necessidade de tentarmos compreender porque o verbo “sonhar” foi usado. Assim, a pergunta é: Deus sonha?

Amados, a Bíblia diz que Deus decreta os seus desígnios: “conforme o propósito daquele que faz todas as coisas, segundo o conselho da sua vontade” (Ef 1.11). Não consegui entender o motivo pelo qual a palavra “sonhou” foi usada. Talvez tenha sido no intento de que Deus idealizou tal fato e com isso se deleitou, mas não posso ter certeza.

Seja como for, a conotação do “sonho”, não denota para algo firmemente delineado e orquestrado, mas uma idealização tal qual quando dizemos que temos muitos “sonhos na vida”, o que nos são mera ambições pelas quais lutamos. E uma vez que o Senhor não tem ambições desta natureza humana, fica difícil querer colocar uma expressão humana para representar algo divino, tornando confusa a letra.

Você é linda demais, perfeita aos olhos do Pai
Alguém igual a você não vi jamais
Princesa Linda demais, perfeita aos olhos do Pai
Alguém igual a você não vi jamais
Princesa, aos olhos do Pai.

A música finaliza repetindo o mesmo teor inicial, dando ênfase ao fato de que a mulher (pois a conotação é feminina) é linda demais e perfeita aos olhos do Pai. Aqui, novamente, levanto a mesma questão inicial: não é somente aos olhos do Pai, e sim à Trindade, pois o Pai não é o único autor da criação.

E sobre o ser feminino, caso alguém entenda que a letra se trata da Igreja do Senhor (o que não fica claro), fica difícil sustentar esta ideia, uma vez que há toda uma conotação de corpo envolvendo o teor musical.

Colocaria, ainda, que por todo o teor musical, a letra soa muito humanista, exaltando o homem como uma categoria, digamos, elevada demais para alguns padrões. Ao ler esta letra e imaginar as pessoas cantando, me deparo com o possível sentimento que a pessoa acaba tendo: “eu sou lindo, sou perfeito aos olhos de Deus; sou alguém sem igual, com o qual Deus sempre sonhou”. E é evidente que tal sentimento pode ser muito perigoso, pois em vez de louvar ao Senhor pelo livramento do pecado, acaba sugestionando a uma exaltação própria.

Concluo a classificando como “não bíblica e inapropriada ao culto público”.

Por: Filipe Machado. Revisão: Filipe Castelo Branco. Copyright © Cante as Escrituras 2015. Original: Aos Olhos do Pai – Diante do Trono (Análise).

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.