Sem precedentes, a melhor definição de modéstia é: “o comedimento determinado pelas exigências das circunstâncias, dos deveres, dos usos.” Esta é a melhor definição de modéstia porque seriamente faz jus ao termo, o qual se refere não à imposição de moldes ou atitudes às pessoas, mas, justamente, apenas revela uma virtude interna e comedida de atitudes, vestimentas, modos, relacionadas às circunstâncias, deveres e usos diversos.

Modéstia, e modéstia exatamente como essa definição acima a explica, é o que os grupos de louvor contemporâneos precisam aprender. Somos diariamente, de todos os modos e em todos os lugares, bombardeados com novas tendências de vestimenta e novos “estilos de vida”. A moda já não apenas influencia [regula] o modo das pessoas se vestirem, como também, atualmente, impõe ativamente “o padrão” de comportamento de pessoas que desejam estar “descoladas”. Me desculpem vocês por terem de ler, aqui, palavra como essa que tanto nos trazem infortúnio e indignação. Quem em sã consciência desejaria estar vestido ou se comportando como alguém “descolado”, ou realmente, desconectado, fora do papel, etc.?

Basta olharmos para a maioria das igrejas evangélicas brasileiras, de todo tipo, e poderemos contemplar dentro delas jovens cristãos “descolados”. Uma palavra: como se não bastasse essa “descolagem” na vida jovem, alguns adultos também passaram a descambar para estas influências. Vemos então a igreja justamente com a cara do mundo: equipes de louvor se parecem com bandas de rock; cantores na igreja são como estrelas – seus cabelos são lambidos mais por um elefante do que por uma vaca; suas roupas mais apertadas que o buraco de uma agulha; suas maquiagens mais estonteantes que as de Britney Spears; seu vocabulário risonho, tão descolado [literalmente] do dicionário básico quanto possível; pastores que transformam os púlpitos em picadeiros; iluminação baixa como a de uma casa de festas; pesadas “eteceteras” que não se acabam.

Não me julguem precipitadamente: com tudo isso não quero dizer que os cristãos não podem se vestir com traços da moda atual, ou que não podem pentear seus cabelos de forma diferente do usual (alguns até trazem o modelo clássico dos anos 60, mesmo lambido [vide o meu]); não quero dizer que as jovens não possam se maquiar; não quero dizer que os pastores não possam rir no púlpito de alguma forma [ainda que com zelo e cuidado nisso]; não quero dizer que a igreja deva ter a conta de luz mais cara do mundo, nem que os grupos de louvor não possam tocar algum tipo de gênero distinto do tradicional “hinário” dos evangélicos antigos, etc. Eu mesmo conheço diversos irmãos que são membros e líderes de igrejas mais “contemporâneas” que realmente são fiéis ao Senhor e às Escrituras, sendo modestos no vestir e no andar. Se você leu até aqui e teve esta impressão (de que realmente quis dizer tudo o que acabei de dizer que nunca quis dizer), você realmente não entendeu o significado do texto, muito menos o significado de modéstia. Modéstia, e distintamente modéstia bíblica é justamente poder se relacionar com todas estas coisas “descoladas”, sem se descolar dos princípios de Deus nas Escrituras e do temor do Senhor. Os grupos de louvor não precisam necessariamente se instalarem detrás da igreja como os grupos de canto gregoriano (ainda que sejam bem interessantes, seja no canto, seja na mensagem que passam com isso), nem as jovens precisam aparecer com cabelo despenteado na igreja (não! Por favor!), nem os pastores precisam fechar a cara para tudo e para todos (pois também há que se dizer contra o legalismo de muitas igrejas que só visam estas coisas exteriores)!

Com a graça de Deus, traremos mais outros dois textos apontando como jovens, tanto homens como mulheres, especialmente os que servem na igreja com o louvor, devem e podem se portar e vestir. Por agora, o ponto deste texto e, principalmente, da Escritura, é alertar e exortar as crianças, os jovens e os adultos cristãos a se colarem com a Escritura e o Senhor, vencendo a guerra contra a moda, usando armas da moda com modéstia e distinção cristã. Sejam comedidos (tenham medida exata e preparada), determinantemente pelas exigências das Escrituras nas devidas circunstâncias, nos deveres e nos usos que o Senhor coloca para os seus filhos viverem. Nossa moda é distinta do mundo, não por ser avessa a ela, mas por ser moda comedida e “modesticada”.

Por: Caique Büll. Revisão: Filipe Castelo Branco. Copyright © Cante as Escrituras 2015. Original: Moda x Modéstia [Parte I]: Uma Palavra Geral aos Grupos de Louvor e à Igreja de Cristo.

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.