Eu recebi um e-mail há cerca de dois meses no qual havia uma pergunta direta e simples: o que é adoração? Fui pego na minha falta de resposta. Eu venho liderando musicalmente a adoração e venho ensinando sobre adoração bíblica por aproximadamente 20 anos, mas percebi naquele momento que nunca havia me sentado para lidar com isso como um projeto pessoal.

Não é o caso de que faltem definições sobre adoração. Grandes santos do passado e do presente – comunicadores talentosos e mentes muito mais aptas que a minha – já responderam essa pergunta. Eu já os citei muitas vezes, e pretendo totalmente continuar citando. Algumas de minhas visões favoritas são:

William Temple

A adoração é a submissão de toda a nossa natureza a Deus. É a consciência intensificada pela Sua santidade; é alimentar a mente com a Sua verdade; é a purificação da nossa imaginação pela Sua beleza; é abrir o coração para o Seu amor; é a rendição da vontade em favor do propósito dEle – e tudo isso junto em adoração na emoção mais abnegada da qual nossa natureza é capaz e, portanto, o remédio principal para o egocentrismo, que é o nosso pecado original e a fonte de nosso pecado atual.

John Frame

A redenção é o meio; a adoração é o objetivo. De certo ponto de vista, a adoração é o cerne de tudo. Ela é o propósito da história, o objetivo da história cristã toda. A adoração não é um segmento da vida cristã dentre tantas outras. A adoração é toda a vida cristã, vista como uma oferta sacerdotal a Deus. E quando nós nos reunimos como igreja, nosso tempo em adoração não é meramente uma preliminar para alguma outra coisa; ao invés disso, é o sentido de tudo na nossa existência como corpo de Cristo.

Louie Giglio

A adoração é a nossa resposta, tanto pessoal quanto corporativa, a Deus por quem Ele é e pelo que Ele já fez. Essa resposta é expressa nas coisas (e pelas coisas) que dizemos e na maneira que vivemos.

Essas definições são maravilhosamente intimidadoras. Porém, enquanto lia o e-mail, eu pensava: “que exercício valioso”! Eu sabia que, mesmo que a minha definição não fosse tão utilmente concisa como a de Giglio ou não contivesse a mesma carga ou precisão técnica que as de Frame ou Temple, o ato de tirar algum tempo para formular uma definição e aprimorá-la com o passar dos anos certamente valeria a pena.

Portanto, aqui está minha tentativa quanto a isso. É apenas um bebê, então seja simpático.

A adoração é a reação de todo o ser – coração, alma, mente, força – para que possa contemplar a glória de Deus. É possibilitada pelo Espírito Santo (não há adoração sem que haja regeneração espiritual). Está embasada na verdade do evangelho (nós vemos a glória de Deus na face de Jesus Cristo). É direcionada pela Palavra auto-revelada de Deus (afinal, nós não descobrimos intuitivamente o que agrada a Deus). Envolve expressões corporais e pessoais (nós adoramos em tudo na vida tanto quanto nos cultos da igreja). Os seres humanos possuem fixação em adorar. Sendo assim, é inevitável que adorem a alguém ou alguma coisa. Mas a adoração que agrada a Deus – a adoração que procede de um coração que vê e ama a Ele – apenas se torna possível pelo trabalho de salvação do Deus Triúno: Pai, Filho e Espírito Santo.

Amigo, o conceito de adoração é absolutamente (e cosmicamente) essencial. Então, eu coloco a questão para você para sua própria reflexão: “o que é adoração”?

Por: Matt Boswell. Copyright © 2013 The Gospel Coalition. Fonte: What Is Worship?

Original: O Que é Adoração? © 2015 Cante as Escrituras. Website: CanteAsEscrituras.com.br. Todos os direitos reservados. Tradução: José Ruy Pimentel. Revisão: Filipe Castelo Branco.