Uma das coisas que eu mais gosto de estudar são as liturgias históricas das igrejas cristãs. Ao ler como meus irmãos serviam eficazmente à igreja, centenas de anos antes de mim, sou animado e edificado, e me lembro que pertenço a uma família de milhares de anos. Não é porque algo é “velho” que deixa de ser pertinente. Deus não revela toda a sua sabedoria a uma só geração. Estudar estas práticas nos podem ajudar a saber que coisas imitar para que possam ser de bênção para as nossas igrejas. Com sabedoria e humildade, devemos aprender das práticas tradicionais e ao mesmo tempo não ser dominados por elas.

Vivemos em um mundo caído, bombardeados por diversas frentes que buscam roubar a nossa atenção e foco de Deus e da sua graça. Eu sei que cada Domingo na minha igreja haverá pelo menos um irmão ou irmã que esteja batalhando contra enfermidade, dor, culpa ou que está pensando que seu pecado é maior que a graça de Deus para perdoar. Por esta razão, antes de começar o tempo de louvor, vejo a importância de tomar uns segundos e fazer um chamado para adorar. Esta é uma das liturgias que eu mais amo, e é o que o pastor ( ou o líder de louvor) faz antes de começar a cantar. É uma exortação, geralmente lendo alguma porção das Escrituras, chamando o povo de Deus para mover sua atenção das coisas do mundo e a focar em Deus e Sua majestade. Esse chamado é para ajudar aos irmãos a manter o foco no Deus que viemos adorar. Um chamado de adoração prepara nossos corações não somente para focar-nos, mas também para receber e responder a Deus.

A partir da Palavra

Encontramos um dos melhores exemplos de um chamado para a adoração em Salmos 100:

Celebrai com júbilo ao SENHOR, todas as terras.

Servi ao Senhor com alegria; e entrai diante dele com canto.

Sabei que o Senhor é Deus; foi ele que nos fez, e não nós a nós mesmos; somos povo seu e ovelhas do seu pasto.

Entrai pelas portas dele com gratidão, e em seus átrios com louvor; louvai-o, e bendizei o seu nome.

Porque o Senhor é bom, e eterna a sua misericórdia; e a sua verdade dura de geração em geração.

Este salmo:

  1. Nos convida a adorar a Deus: “Celebrai com júbilo ao Senhor, todas as terras”. Este é um convite da parte de Deus para ir adorar a Deus. O fato de que Deus esteja estendendo o convite a nós nos mostra que Ele é o que inicia e nós somos os que respondemos. Deus nos chama para ir diante dEle em Seus termos; não nos nossos. Ele nos chama para servir com alegria e para ir diante dEle com cânticos de júbilo. Como é Deus que está nos chamando, sabemos que se vamos diante dEle, em seus termos, Ele aceitará nosso louvor.
  1. Nos dá esperança. “Sabei que o Senhor é Deus; foi ele que nos fez, e não nós a nós mesmos; somos povo seu e ovelhas do seu pasto”. Este versículo nos mostra que não há outro Deus como Ele, e que somos sua criação. Se Ele nos criou, Ele nos conhece completamente de maneira pessoal. Como somos ovelhas do seu pasto, sabemos que Ele é nosso Pastor e que Ele cuidará de nós para sempre. Quando enfrentamos neste mundo pecado, aflição, ou perseguição, Deus é quem nos protegerá.
  1. Nos chama para Ele. “Entrai pelas portas dele com gratidão, e em seus átrios com louvor; louvai-o, e bendizei o seu nome”. Em resposta ao verso anterior, Ele nos chama para ir a Ele com plena confiança. Esse chamado para ir adorá-lo é uma amostra da graça que nos foi dada e nos motiva a ir com ações de graças e louvor. Nossa adoração é possível e aceitável porque Ele nos comprou por meio de Jesus Cristo.
  1. Os indicativos do salmo. Neste salmo vemos vários imperativos (ou mandatos) para nós. Estas são as coisas que temos que fazer, mas o maravilhoso deste salmo é que nos dá o motivo de podermos fazer todas estas coisas. Nos dá estas razões que nos animam e habilitam a responder adequadamente em adoração. Estes indicativos são que “foi ele que nos fez, e não nós a nós mesmos”; “somos povo seu e ovelhas do seu pasto”; “porque o Senhor é bom”; “eterna a sua misericórdia; e a sua verdade dura de geração em geração”. Sem esses indicativos, nos desanimaríamos em grande maneira porque não teríamos as ferramentas para responder. Deus é tão misericordioso que nos chama para adorá-lo e para responder com gozo, e nos dá os motivos pelo qual podemos fazer isto. Ele é bom e para sempre é a sua misericórdia.

Este salmo nos mostra como fazer um chamado de adoração efetivo. Nos motiva a conhecer, exaltar com gozo, a amar a Deus, e nos ajuda a ver que podemos fazer estas coisas porque Ele nos dá sua misericórdia.

Na prática

Quando lidero o louvor, na ocasião eu somente leio um salmo ou parte do salmo e depois começo a cantar sem ter que agregar nada. Outras vezes convido a congregação a participar e a ler juntos. E ainda outras vezes começo lendo a primeira parte e a congregação responde. Um exemplo é o Salmo 118:

¹ Louvai ao SENHOR, porque ele é bom,
porque a sua benignidade dura para sempre.

² Diga agora Israel,
que a sua benignidade dura para sempre.

³ Diga agora a casa de Arão,
Que a sua benignidade dura para sempre.

Digam agora os que temem ao Senhor,
que a sua benignidade dura para sempre.

Em outras ocasiões, leio uma passagem da Bíblia e agrego um convite à resposta. O Salmo 95 diz:

¹ Vinde, cantemos ao SENHOR;
jubilemos à rocha da nossa salvação.
² Apresentemo-nos ante a sua face com louvores,
e celebremo-lo com salmos.
³ Porque o Senhor é Deus grande,
e Rei grande sobre todos os deuses.

Um convite poderia ser: “Ele é a rocha da nossa salvação, não há outro maior que Ele… Por isso exaltemos o seu nome e confiemos nEle”.

Nem sempre tem que ser um salmo. Tampouco é um requisito para todo líder de louvor e todo tempo de adoração. Simplesmente estou imitando a sabedoria de muitas pessoas antes de mim. Tenho visto como o fazer um chamado de adoração ajuda a igreja a se conectar com o que veio fazer no domingo. Há pessoas que depois de cantar duas ou três músicas começam a focar em adorar a Deus. No entanto, o fazer um chamado a adoração antes de cantar nos ajuda para que apontemos nossos olhos e corações da igreja para focar naquele que merece toda a nossa adoração.

Líderes de louvor, não percamos tempo nem desgastemos nossas palavras ao desperdiçar os primeiros minutos de adoração com a igreja. Não vamos trazer conceitos sem relevância. Pelo contrário, vamos tomar cada oportunidade para apontar em direção à glória, a majestade, a soberania, o amor, poder de Deus e o que Ele quer fazer com seu povo. Também lhe animo para que use a Palavra de Deus em seus chamados para adorar, porque quando usamos a Palavra de Deus, Deus é que está falando ao Seu povo, não nós. Inspiremos a nossas igrejas a confiar em Deus desde o começo do serviço de louvor.

Por: Mauricio Velarde. Copyright © 2015 The Gospel Coalition. Fonte: El llamado a adorar

Original: O Chamado para Adorar. © 2016 Cante as Escrituras. Todos os direitos reservados. Website: CanteAsEscrituras.com.br. Tradução: Renan Bandeira. Revisão: Filipe Castelo Branco.