Todos os dias te bendirei e louvarei o teu nome para todo o sempre. Grande é o Senhor e mui digno de ser louvado; a sua grandeza é insondável.
Salmo 145:2-3

Adorar a Deus tem a ver com reconhecer o quão grande Ele é, quão ilimitado é o Seu amor e poder, tanto na criação quanto na redenção. Adorar ao Senhor não é algo esporádico, mas diário. Desde o dia em que somos convertidos e para todo o sempre, o prazer maior do cristão é a adoração, o reconhecimento do quão grande é o Senhor.

“Ó Soberano Senhor, tu começaste a mostrar a teu servo a tua grandeza e a tua mão poderosa! Que Deus existe no céu ou na terra que possa realizar as tuas obras e os teus feitos poderosos?
Deuteronômio 3:24

Em Dt 3.24, Moisés afirma que Deus apenas começou a mostrar a Sua grandeza e ele. E lembre-se de quão grandes coisas Deus fez por ele e pelo povo no deserto (abriu o mar para passarem, derrotou o exército de Faraó, fez descer comida do céu, fez sair água da rocha, etc.). De fato, embora coisas sobrenaturais pareçam grandes demais para nós, para Deus são como o levantar da mão ou o piscar dos olhos.

Ergam os olhos e olhem para as alturas. Quem criou tudo isso? Aquele que põe em marcha cada estrela do seu exército celestial, e a todas chama pelo nome. Tão grande é o seu poder e tão imensa a sua força, que nenhuma delas deixa de comparecer! Será que você não sabe? Nunca ouviu falar? O Senhor é o Deus eterno, o Criador de toda a terra. Ele não se cansa nem fica exausto, sua sabedoria é insondável.
Isaías 40:26-28

Em Is 40.26 e 28, o próprio Deus nos convida a enxergarmos sua grandeza e poder enquanto estudamos as estrelas, galáxias, planetas, e todo o exército celestial. Deus chama uma a uma pelo seu próprio nome. E sabemos que são em número de bilhões de bilhões.

Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das coisas criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis;
Romanos 1:20-21

Em Rm 1.20-21, Paulo afirma serem indesculpáveis todos os homens diante das claríssimas evidências de um poder criador e sustentador por detrás de toda a criação. Não há como escapar do juízo ignorante.

Todos conhecemos a canção Grandioso és Tu. Caso você não lembre dela, tenha certeza que um dia você já a ouviu em algum lugar! Ela foi escrita por um pastor sueco, Carl Boberg, em 1886. A história da letra começa quando Boberg está de passagem por um estado sueco muito bonito e se depara com uma inesperada tempestade. Tudo foi muito rápido. Em um momento, raios, trovões, muitos brilho e barulho. Rapidamente, tudo isso acaba e dá lugar ao calmo brilho do sol e ao doce canto dos pássaros nas árvores.

De joelhos, Carl Boberg sente um profundo desejo de adorar a Deus por Sua grandeza sobre toda a criação e escreve nove estrofes de uma poesia de louvor. Algum tempo depois, algumas comunidades suecas começaram a cantar aquelas linhas com uma de suas antigas canções populares.

Posteriormente, aquela poesia foi traduzida para o alemão e para o russo e, por fim, para o inglês pelo Rev. S. K. Hine e sua esposa, missionários na Ucrânia. Com o passar do tempo, das 9 estrofes restaram 4 que, ainda hoje, são vastamente cantadas em todo o mundo através do hino Grandioso és Tu.

Louve sempre a Deus por Seu poder, primeiramente visto na criação e, agora, na redenção. O mesmo poder que criou céus e terra criou a sua nova vida. O mesmo poder que disse “Haja luz, e houve luz”, é o poder que regenera você tornando-o uma nova criatura. Louve-O sempre pois, maior do que Seu poder na criação é o Seu poder na redenção!

Grande é o Senhor, e digno de todo louvor na cidade do nosso Deus. (Sl 48.1)

Por: Wilson Porte Junior. Copyright © 2014 blog Wilson Porte Jr.. Original: Grandioso és Tu!

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.