“Tu me farás ver os caminhos da vida; na Tua presença há plenitude de alegria, na tua destra, delícias perpetuamente”
Salmo 16.11

“És grande, Senhor, e digno de todo o louvor… Fizeste-nos para Ti e o nosso coração não descansa enquanto não repousar em Ti”
Santo Agostinho

Louvar a Deus é algo incrível.

Louvar não é cantar, não é pregar, não é ler, não é orar. Podemos estar com os lábios e olhos fechados e, ainda assim, louvar. Louvar tem a ver com motivação, com aquilo que está em seu coração. Louvor tem a ver com aquilo que enche seu coração (Mt 12.34).

No salmo 148, Deus convoca céus e terra para louvá-lo. E diz que todos estes lhe obedecem quando convocados à adoração. Curiosamente, os céus e a terra são mais obedientes do que os homens.

Neste belíssimo convite ao louvor, os primeiros a serem convidados (1-6) são os anjos e os astros (sol, lua, estrelas). A razão para o louvor é o fato deles terem sido criados por Ele. Ele os criou e os estabeleceu. Em Colossenses 1.17, Ele diz que os astros só existem por que Ele os sustenta.

Sem Seu soberano cuidado, eles (anjos e astros) já teriam deixado de existir a tempos! Ele os criou, por isso os convida ao louvor, ao desfrute dEle mesmo. Afinal, louvá-lo nada mais é do que desfrutar dEle. Trata-se de um grande privilégio o louvor. Só o sabe que O louva.

Nos versos seguintes (7-12), a terra é convidada a louvar! Monstros marinhos, abismos, fogo, saraiva, neve, vapor, ventos, montanhas, árvores, feras, gados, répteis, e, por fim, seres humanos, de todas as idades, são convidados ao louvor.

Não, isso não é mitologia! Não trata-se de um conto de magia ou ficção. Deus está realmente chamando Sua criação a louvá-lo! Mas como?

Tudo na criação revela a glória de Deus. No revelar de Sua glória está o louvor ao Seu nome, Seu poder. Percebemos na criação a Sua sabedoria, Sua autoridade, Sua onisciência, Sua onipotência (Ele criou tudo do nada), Sua engenhosidade, Sua habilidade artística (“e viu que era bom”), enfim, dentre muitas outras coisas.

Assim, o louvor a Deus é dado pela exposição natural de quem Ele é. Obviamente, esta revelação não é capaz de trazer salvação ao homem. Apenas é capaz de torná-lo ainda mais indesculpável.

De fato, é impossível sabermos claramente como os animais, o vento, a tempestade, as estrelas, e tudo o mais louva ao Senhor. Todavia, percebemos Deus falando com toda a criação e esta lhe respondendo.

Lembre-se de Jonas! Quando ele estava no ventre do grande peixe, Deus apenas falou com o peixe e este logo vomitou Jonas na praia. Deus fala, o peixe obedece (mais prontamente do que o próprio Jonas).

“Todo o ser que respira, louve ao Senhor” (Salmo 150.6). Sem dúvida, há uma certa forma de relacionamento de Deus com as outras criaturas que respiram. Mas, a nós não é dado o conhecer deste relacionamento mais a fundo.

Eu acredito que todas as criaturas podem louvar a Deus, mas de uma forma diferente da que nós louvamos. Como a Bíblia não é clara sobre o louvor que é dado pelas demais criaturas, nós não podemos entender mais claramente como é esse louvor que Ele recebe das estrelas ou do fogo ou dos répteis, por exemplo.

O salmo 148 termina (13-14) com um convite ao povo escolhido. Seu povo, mais do que todos, deve louvá-lo. Homens e mulheres que antes estavam perdidos, mas agora estão em Seus braços, antes estavam condenados, mas agora estão perdoados, ninguém mais do que estes tem motivos para louvá-lo.

Quando O louvamos, Ele nos exalta, nos arrebata, nos ergue, nos levanta. Sentimos como se estivéssemos em outro lugar. Quando O louvamos, encontramos paz. Desfrutamos dEle. Por isso, louvar é algo incrível. Algo maravilhoso. Sobrenatural. Arrebatador.

Louve-O hoje mesmo. Pare tudo o que estiver fazendo ou o que está por fazer. Separe um tempo para louvá-lo, para admirá-lo, para dizer a Ele o quanto você O ama e o quanto você é grato por ser convidado para louvá-lo por toda a eternidade. Você é dEle, e Ele, por graça, é seu. Ele se deu a você e deseja que você O ame assim como Ele ama você.

Louvado seja o Senhor!

Por: Wilson Porte Jr. © blog Wilson Porte. Website: wilsonporte.org. Repostado com permissão. Original: Louvor: Um Belíssimo Convite ao Prazer.