A música cristã no Brasil encontra-se tão distante de sua verdadeira essência, tão desviada de sua vocação original que se faz necessária uma urgente e completa reforma de tudo aquilo que se chama “louvor e adoração”. Não tenho ilusões de que nós mesmos possamos deflagrar uma reforma e avivamento em nosso meio, pois essas coisas pertencem ao domínio da soberania do Senhor Deus, somente Ele pode fazer essas coisas acontecerem. Mas tenho esperança porque Ele é grande em misericórdia. E sendo a Sua misericórdia “para além das nuvens”, quem sabe, se a gente se humilhar, se a gente se arrepender e chorar, Ele tenha misericórdia de nós e nos conduza a um novo tempo, a um recomeço. “E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra” (2 Crônicas 7:14). Oh, que promessa maravilhosa e comovente! E junto a essa eu apresento outra promessa estonteante, que é quase como se a gente pudesse “puxar” o Senhor Deus para o nosso lado: “Achegai-vos à Deus e Ele se achegará a vós outros”(Tiago 4:8). Todo progresso na vida cristã começa com o arrependimento. Portanto, é hora de parar com tudo, suplicar perdão e misericórdia, pedir ao bendito Espírito de Deus que promova em nós o verdadeiro arrependimento. Antes de se pensar em recomeçar qualquer coisa é necessário botar abaixo e fazer virar pó toda essa estrutura maculada de secularismo e impiedade. Depois disso, que haja um período de luto, não pela estrutura que veio ao chão, mas porque a permitimos existir e também porque demoramos tempos demais para empunharmos nossas marretas. Quem sabe nós, músicos, poderíamos começar algo novo e belo fazendo nossas as palavras abaixo em espírito de oração:

1- Confessamos e suplicamos por arrependimento por termos nos desviado do Senhor Deus e da essência de nosso chamado;

2- Confessamos e suplicamos arrependimento porque muitos de nós “ministramos” na presença do Deus Altíssimo sem ter certeza da salvação, sem ter passado pelo novo nascimento e sem nada saber do que venha a ser uma vida transformada dia a dia por Cristo;

3- Confessamos e suplicamos por arrependimento porque muitas vezes temos vivido de maneira iníqua e em pecado consciente e mesmo assim comparecemos ao ajuntamento solene causando repulsa ao Senhor Deus;

4- Confessamos e suplicamos por arrependimento porque temos considerado a Casa de Deus um lugar comum, como se fosse um clube qualquer e não uma Casa de Oração;

5- Confessamos e suplicamos por arrependimento porque vamos ao culto não para adorar humildemente com temor e tremor mas para “sermos vistos pelos homens”;

6- Confessamos e suplicamos por arrependimento porque não usamos os dons que recebemos gratuitamente do Espírito Santo de Deus para servir a Igreja mas para nos exaltarmos acima de nossos irmãos e satisfazer o nosso ego;

7- Confessamos e suplicamos por arrependimento porque ousamos inútil e desavergonhadamente tentar preencher a ausência do Espírito Santo nos cultos com nossas performances “pseudo-piedosas”, e assim zombamos do Senhor Deus e botamos nossas almas em terrível perigo;

8- Confessamos e suplicamos por arrependimento porque nos últimos vinte ou trinta anos nossas músicas e ministérios não tem produzido temor e conhecimento de Deus, nem mais santidade em nós e em nossos irmãos, nem conversões genuínas, e muito menos promovido a glória devida ao Senhor nosso Deus;

9- Confessamos e suplicamos por arrependimento porque se o meigo Filho de Deus entrasse hoje em nossas reuniões Ele quebraria nossos instrumentos, derrubaria no chão nossos equipamentos de som e chutaria nossos holofotes e diria: “Tirem daqui essas coisas! A Casa de meu Pai não é lugar de show!”;

10- Confessamos e suplicamos por arrependimento por que não honramos a Palavra de Deus em nossas canções mas temos ensinado todo tipo de coisa estranha, humanista, antropocêntrica, sensorial, sensual, que nada tem a ver com a sã Doutrina;

11- Confessamos e suplicamos por arrependimento porque gostamos de ser tratados como “ídolos” por nossos irmãos por quem Cristo morreu e de ver que eles se aproximam de nós tremendo a ansiosos para pegar nossos autógrafos como se fossemos “celebridades”;

12- Confessamos e suplicamos por arrependimento porque chegamos depois que o culto começa e saímos antes que acabe pois se nossos irmãos conseguissem falar conosco, eles descobririam que não somos pessoas espirituais e que, na verdade, somos vazios e tudo em nós é só uma tola aparência;

13- Confessamos e suplicamos por arrependimento porque mercadejamos nossos dons, talentos e ministérios, trazendo desonra e escândalo ao evangelho e ao nome de Cristo;

14- Confessamos e suplicamos por arrependimento porque somos semelhantes à Igreja de Laodicéia; pensamos ser ricos, abastados não precisando de coisa alguma, e nem imaginamos que somos infelizes, miseráveis, pobres, cegos e nus;

15- Confessamos e suplicamos por arrependimento porque tiramos o púlpito de nossas igrejas, revelando com essa atitude que o ensino e a pregação da Palavra não tem importância pra nós e elevamos as plataformas e enchemos tudo de canhões com luzes multicores fazendo um lugar simples parecer uma casa de show;

16- Confessamos e suplicamos por arrependimento porque embora cansados e empapuçados com nossas canções e ministérios não temos a coragem de parar, refletir e ver o grande nada aonde tudo isso tem nos levado, e também ao povo simples que ainda ouve nossas canções mortas;

17- Confessamos e suplicamos por arrependimento porque temos roubado a glória que só ao Senhor Deus pertence e temos acumulado sobre nós mesmo terrível juízo;

18- Confessamos e suplicamos por arrependimento porque deveríamos “pendurar nossas harpas nos salgueiros e chorar junto aos rios de Babilônia” até que a Igreja do Deus vivo seja expurgada de toda a vaidade e comércio que temos promovido no meio dela:

19- Confessamos e suplicamos por arrependimento porque deveríamos parar com tudo o que estamos fazendo e talvez passar um ano ou mais cantando louvores antigos que comprovadamente abençoaram a igreja no passado até que sejamos convertidos e restaurados pelo Senhor Deus;

Que o Senhor tenha misericórdia de nós!

Por: Stênio Marcius. Copyright © 2015 Tanto Pra Dizer. Original: Arrependimento e Confissão para Músicos Cristãos

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.