Estamos na era da tecnologia, podemos pedir comida com uma só chamada e fazer nossas compras pela Internet, tudo isso a partir da comodidade da nossa casa. Cada vez mais nos acostumamos a ter as coisas, como dizem na minha terra “pedindo de boca“, “ao gosto do cliente“, “o que melhor nos convém“.

Lamentavelmente, nós trouxemos este conceito ao cristianismo moderno individualista. Nos dias de hoje temos igrejas estilo “iTunes“, onde você escolhe a sua música, seus mestres e suas mensagens da sua maneira e do seu gosto. Cada qual se une ao grupo de redes sociais de sua preferência. Esta é a tendência dentro do cristianismo moderno. É muito mais fácil a igreja “iTunes“, onde você se conecta virtualmente a partir da comodidade da sua casa, sem ter que receber críticas, sem que você tenha que dobrar as mangas da camisa e trabalhar no campo, sem ter que perdoar quando alguém te ofenda, etc.

Chamados a uma vida em comunidade

Em uma igreja verdadeira você tem que enfrentar inimigos, alguém com quem você não se dá bem, suportá-lo, amá-lo, servi-lo, desta maneira foi projetado por Deus a vida de um cristão. A palavra de Deus nunca nos fala de uma fé individualizada. Não podemos deixar que o mundo cibernético substitua a verdadeira comunhão da igreja.

Podemos observar em primeira João como em toda a carta é enfatizada a base da comunhão entre irmãos. Esta base é de suma importância, já que é uma evidência da verdadeira e genuína salvação. “Em isto conhecemos o amor: no que Ele deu Sua vida por nós. Também nós devemos dar nossas vidas pelos irmãos.” (1 João 3:16). Isto não é possível cumprir na igreja “iTunes“, já que a meta do Evangelho não é a salvação individual, mas a comunhão uns com os outros pela unidade na obra do Espírito.

A Palavra nos mostra que a base da comunhão é o Evangelho. O que está fora da comunhão com seus irmãos não pode se chamar salvo, já que a comunhão cristã é uma obra de Deus por Jesus Cristo a todo aquele que salva. “Nós lhes proclamamos o que vimos e ouvimos para que vocês também tenham comunhão conosco. Nossa comunhão é com o Pai e com seu Filho Jesus Cristo.” (1 João 1:3) A obra do Evangelho é evidente na comunhão com nossos irmãos centrados na pessoa de Cristo. Novamente repito, isto não é possível nas igrejas “iTunes”.

A igreja local é o projeto de Deus

No livro de Atos vemos um exemplo de uma vida em comunidade. “Os que aceitaram a mensagem foram batizados, e naquele dia houve um acréscimo de cerca de três mil (almas) pessoas. Eles se dedicavam ao ensino dos apóstolos e à comunhão, ao partir do pão e às orações.” (Atos 2:41-42) Interessante que no início da igreja os que foram salvos foram adicionados a uma comunidade de fé na qual se dedicavam ao ensino, comunhão e oração.

Algo que caracterizava a igreja primitiva era precisamente a comunhão entre os irmãos, o compartilhar juntos tempos de comidas e companheirismo, seu compromisso com o outro. O serviço da comunhão sacrificial sempre será o testemunho da Igreja aos de fora já que o mundo não sabe o que é isso. Tanto é assim que a vida espiritual em comunidade local mostra o símbolo da verdadeira comunhão na que o Senhor Jesus ordenou como sacramento que conhecemos como a Ceia do Senhor. “Não é verdade que o cálice da bênção que abençoamos é uma participação no sangue de Cristo, e que o pão que partimos é uma participação no corpo de Cristo?” (1 Coríntios 10:16) Tudo isto só se dá em uma comunhão com a Igreja local, não se pode participar dos sacramentos em uma igreja “iTunes“.

A Disciplina da Igreja também nos fala da comunhão uns com os outros. O modelo bíblico de Mateus 18, onde pela primeira vez na Igreja é mencionada a disciplina, nos fala de como levá-la em nível de comunidade. O verdadeiro cristão deve ser provado na vida de comunidade. O pecado sempre quer privacidade, e quanto mais privado mais poderoso é. Mas a comunhão entre irmãos sempre busca mortificar a nós mesmos e ser corrigidos, edificados e consolados “uns com os outros“.

A vida em comunidade é a chave para o crescimento espiritual

Eu gosto como diz o pastor Mark Dever sobre a vida em comunidade: “Comprometa-se com um grupo local de pecadores salvos. Experimente amá-los. Não faça somente durante 3 semanas. Nem durante 6 meses. Faça durante anos. E creio que você descobrirá, e outros também descobrirão, se ama a Deus ou não. A verdade se mostrará a si mesma”.

O Novo Testamento está cheio de instruções sobre o que significa viver na comunidade da igreja local:

É nossa responsabilidade como crentes de viver uma vida de comunidade. Não nos conformemos a este mundo e seus costumes. Os camponeses solitários não são produtos de uma obra de regeneração do Espírito Santo, senão do egoísmo e do pecado.

Talvez alguns possam dizer: “O que posso fazer se não tenho uma igreja sã onde eu possa me congregar?” Primeiramente, orar ao Senhor para que coloque irmãos em sua vida com os quais você possa ter comunhão. Começar a servir seus vizinhos, familiares e amigos, levando a verdade do Evangelho por meio da sua entrega, assim como Cristo se entregou por nós. Talvez desta maneira você possa conseguir esses irmãos na fé com os que possa viver em comunhão.

A vida cristã está projetada por Deus para viver em comunidade.

Por: Luis Soto. Copyright © 2016 Soldados de JesuCristo. Original: ¿Cristianos iTunes?

Tradução: Renan Bandeira. Revisão: Filipe Castelo Branco. © 2016 Cante as Escrituras. Original: Cristãos iTunes?

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.