Pois é, volta e meia ouço alguns evangélicos me questionando a respeito disso. Sinceramente, fico a pensar com meus botões de onde foi que tiraram essa doutrina de que a música que não exalta a Deus é do diabo.

Como já escrevi anteriormente no artigo “Posso ouvir música do mundo?”, a doutrina da graça comum aponta para um Deus que é a fonte de toda cultura e virtude comum que encontramos entre os homens. Em outras palavras, isso significa dizer que tanto a poesia como as formas variadas da arte, são expressões vivas da multiforme sabedoria de Deus.

Desde que me converti tenho ouvido a doutrina que afirma que antes da queda, Lúcifer era responsável pelo louvor no céu. E que o fato de ter caído, o levou a usar desta arte para profanar o nome de Deus. Fundamentados nisso, alguns evangélicos afirmam que toda música que não louva a Deus tem por fonte o capeta. Aliás, desde que Raul Seixas afirmou que o “Rock é do Diabo” parte da igreja de Cristo vestiu a carapuça da credulidade dando todos os créditos ao pai da mentira. Ora, não há beleza que não venha de Deus. Foi Ele quem idealizou a música, a arte, a poesia, a festa e a cultura.

Caro leitor, lamento desapontá-lo em afirmar que o cramulhão nunca foi ministro de louvor no céu. Desculpe aborrecê-lo, mas não foi o diabo quem criou o samba, o rock, o choro ou qualquer outro tipo de ritmo musical. Deus é o autor da arte, da música e da poesia. Louvado seja o seu nome por isso!

Como escrevi anteriormente, não nos é possível “satanizarmos” o “insatanizável”, até porque é impossível negar a ação de Deus entre os homens ao ouvir clássicos da música como “One” do U2, ou “Miss Sarajevo” onde Luciano Pavarotti leva qualquer um às lágrimas com sua participação especial, ou ainda ouvir Perpetuum Jazzile & BR6, cantando “Aquarela do Brasil”.

Isto posto afirmo sem titubeios de que a música, arte e a poesia são presentes de Deus à humanidade.

Pense nisso!

Por: Renato Vargens. Copyright © 2009 blog Renato Vargens. Original: Música que não louva Deus é do diabo?

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.