Outro dia eu escrevi um texto que despertou o questionamento de muita gente. Em virtude disso, alguns dos que me leram ficaram  alvoroçadíssimos, isto porque, eu ousei falar sobre a possibilidade do crente em Jesus ouvir música do mundo, que na perspectiva de alguns é algo absolutamente maligno (leia o texto aqui).

Pois é, confesso que o que mais me assustou foram alguns dos comentários postados no blog e no Facebook. Lamentavelmente teve gente cuspindo maribondo, me xingando de todos os nomes possíveis, simplesmente pelo fato de eu ter desconstruído o conceito de que a música não cristã pertence ao diabo (leia aqui).

Há pouco soube do caso de um pastor que proibiu os membros de sua igreja de ouvirem músicas do mundo, visto acreditar que ouvir canções compostas por incrédulos não agrada em nada a Deus.

Caro leitor, infelizmente sou obrigado a concordar que boa parte dos pastores não conseguem lidar muito bem com o equilíbrio e liberdade que Cristo nos outorgou. Diferentemente dos que se consideram donos do rebanho, acredito que proibir não é o melhor caminho no processo de edificação e consolidação na vida espiritual do povo de Deus. Junta-se a isso o fato de que acredito piamente que o pastor NÃO pode IMPOR sanções, ou “castigos” disciplinares àqueles que por um motivo ou outro resolveram contrariar sua vontade ouvindo música do mundo. Além disso, afirmo que ouvir ou não as melodias em questão, encontra-se na esfera da pessoalidade e não doutrinária, o que permite com que o indivíduo decida segundo a sua consciência se deve ou não ouvir canções de não cristãos.

Outro ponto interessante é que em nome de uma espiritualidade maniqueísta não são poucos os cristãos que satanizam a música e divinizam as novelas. Ouso afirmar que muitos daqueles que afirmam que música do mundo é do Cramulhão, acompanharam fielmente o desempenho de Carminha na novela da Globo.

Prezado amigo, vamos combinar uma coisa? Deus estabeleceu como ordem a graça comum. E que esta é a fonte de toda cultura e virtude comum que encontramos entre os homens. Em outras palavras, isto significa que Deus em sua infinita graça fez com que o sol nascesse sobre o justo e o injusto, e mandasse chuva sobre o bom e o mau. Isto, posto, concluo dizendo: Não quer ouvir não ouça, contudo não condene quem ouve, nem tampouco espiritualize o que não deve ser espiritualizado.

Vale a pena ressaltar que bom senso é fundamental nisso tudo, e que em nome de Cristo devemos entender que tudo é lícito, mas, nem tudo convém, não é verdade? Agora, daí a dizer que tudo é do cão é um pouco demais.

Rogando a Deus por equilíbrio e maturidade espiritual,

Renato Vargens

Por: Renato Vargens. Copyright © 2012 blog Renato Vargens. Original: Pode o pastor me proibir de ouvir música do mundo?

Permissões: Você está autorizado e incentivado a reproduzir e distribuir este material em qualquer formato, desde que informe o autor, seu ministério e o tradutor, não altere o conteúdo original e não o utilize para fins comerciais.