A questão não é se adoraremos, mas o que. Melhor ainda, quem e como.

Nesse Domingo, enquanto muitos de nós se preparam para adoração congregacional, talvez o texto bíblico mais significativo para guiar a essência do que nós procuramos quando nos reunimos, é, nas palavras de Jesus, em João 4:23-24.

Mas a hora vem, e agora é, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque o Pai procura a tais que assim o adorem. Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade.

Coração e Mente

A verdadeira adoração, diz Jesus, é em espírito e em verdade. A parte da “verdade” é bastante simples – e com a vinda de Jesus (“a hora vem e é agora”) que a verdade é centrada na sua pessoa e em seu trabalho, o que é ele mesmo “a Verdade” (João 14:6) e a mensagem sobre a sua conquista de salvação para nós, que é “a palavra da verdade do evangelho” (Colossenses 1:5) e “a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação” (Efésios 1:13). E é essa “palavra da verdade” (Tiago 1:18) pela qual nos é dado novo nascimento, esta “palavra da verdade” (2 Timóteo 2:15) que os cristãos se esforçam para lidar corretamente, e essa verdade que ancora e satura a adoração que é verdadeiramente cristã.

Mas, e quanto ao “espírito”? É o nosso espírito ou o Espírito de Deus? A memorável declaração de Jesus em João 3:6 ajuda: “O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito.” Não é um ou outro, mas os dois. Para aqueles que são novas criaturas em Cristo, nosso espírito deve sua existência e vibração ao Espírito de Deus. Como John Piper escreve, “A verdadeira adoração vem apenas de espíritos vivificados e sensíveis pelo despertar do Espírito de Deus” (Desiring God, 82). O Espírito de Deus inflama e energiza nosso espírito.

Ossos e Medula

A adoração cristã engaja coração e mente. Ela necessita de uma verdadeira doutrina a respeito do Pai e do Filho, e sua parceria no resgate dos pecadores, e devida emoção sobre essa doutrina. É tanto uma questão de coração quanto de mente. Piper resume em “afeições fortes por Deus, estão enraizadas na verdade”.

Adoração deve ser vital e verdadeira no coração, e adoração deve repousar na verdadeira percepção de Deus. Deve existir tanto espírito quanto verdade. Verdade sem emoção produz uma ortodoxia morta e um igreja cheia (ou meio cheia) de admiradores artificiais. Por outro lado, emoção sem verdade produz frenesi vazio e cultiva pessoas rasas que recusam a disciplina de pensamentos rigorosos. Mas, a adoração verdadeira vem de pessoas profundamente emocionadas e que amam a doutrina profunda e sólida. Afeições fortes por Deus enraizadas na verdade são o osso e medula da adoração bíblica. (81-82)

O que não é

Então, a essência da verdadeira adoração não é externa, mas interna, coração e mente, emoção e pensamento, espírito e verdade – se estamos falando de uma vida inteira de adoração (Romanos 12:1) ou reuniões congregacionais para adoração.

No entanto, somos tão propensos a identificar a adoração com o exterior: quão bonito (ou malcuidado), quantos estão frequentando, quão boa é a música, quão talentoso é o pregador, se alguém perto de nós está fazendo algo no celular ao invés de ler a Bíblia em um aplicativo ou tomar notas, ou se um dos líderes de louvor está balançando a mão de forma distraída, ou fazendo expressões faciais estranhas, ou se balançando, ou mesmo pulando. (Há algo a ser dito sobre “excelência que não distrai” para aqueles que planejam liderar cultos de adoração, mas isso é para outro momento.)

Seja qual for o seu contexto

Leve esse lembrete com você enquanto prepara o seu coração e se dirige a próxima reunião de adoração congregacional. O exterior importa, mas ele não é a essência. Ele não precisa comandar o dia.

Se o contexto corporativo é maravilhosamente propício para o que mais te afeta, ou vai de encontro as suas preferências pessoais, o coração da adoração não precisa ser prejudicado – porque o coração da adoração é o coração.

Por fim, não é o que fazemos (ou não fazemos) com nossas mãos (ou o que outra pessoa está fazendo ou deixando de fazer), mas o que fazemos com nosso coração e mente– por causa daquele que capturou nosso coração e mente. Adoração é em espírito e verdade.

Por: David Mathis. Copyright © 2014 Desiring God. Fonte: Worship in Spirit and Truth

Original: Adoração em espírito e verdade. © 2017 Cante as Escrituras. Todos os direitos reservados. Website: CanteAsEscrituras.com.br. Tradução: Calebe Sequeira. Revisão: Raquel Lima.