Minha mãe não permitia murmuração em nossa casa, não porque ela fosse religiosa, era questão de superstição mesmo. Para ela, reclamar da vida atraia maus fluídos. Portanto, era imperativo que independente da situação em que estivéssemos passando lá em casa, fôssemos, ou verbalmente gratos, ou permanecermos calados.

A Bíblia condena a murmuração(1 Co 10.10), porque ela é uma forma de atacarmos ao nosso Deus, soberano em seus propósitos, os quais muitas vezes nos levam por caminhos íngremes porém necessários.

Murmurar é acusar o guia da excursão de dificultar a caminhada mesmo sabendo que ele não faria tão terrível rota se não fosse necessária, até porque ele mesmo está percorrendo o caminho conosco.

Assim também Deus não nos leva pelos piores caminhos de maneira arbitrária ou cruel, e nem sem nos dar a garantia de sua companhia. Nosso Deus é bom, nos ama, e deseja nos conduzir aos lugares de descanso, isso tudo é muito reconfortante. Deveríamos então, sempre que estivermos passando por situações adversas, lembrarmos de seus planos amorosos e de sua presença, e sermos gratos por isso nos dá a segurança de que chegaremos ao fim dessa jornada pré programada por Ele.

É dai que deve brotar o sentimento de gratidão e louvor, que é o oposto da murmuração. Louvar a Deus na dor é reconhecer que ela não é um fim em si mesma, mas parte do processo para chegar aonde Deus deseja nos levar.

Santo Agostinho conseguiu captar bem a essência desse sentimento de louvor a Deus por parte de nós seres tão frágeis. Para ele o louvor é uma forma de acharmos em Deus o descanso para a nossa alma: “Quer louvar-te um ser humano, parte minúscula de tua criação. És tu mesmo que lhe dás o impulso para fazê-lo, assim ele se sente feliz ao louvar-te. Pois, para Ti nos criaste, e inquieto é nosso coração, até que chegue a descansar em ti”.

Nas palavras de Agostinho uma grande certeza, Deus quer nosso louvor, por isso, Ele mesmo no impulsiona a louvá-lo, e nós o louvamos quando reconhecemos que seus planos eram bons, ainda que por um tempo parecessem absurdos e dolorosos. E somente quando o louvamos antecipadamente, encontramos o descanso para nossas almas, pois reconhecemos que seus caminhos são feitos para resultar em nosso louvor a Ele.

Por: João Eduardo Cruz. Revisão: Filipe Castelo Branco. © 2017 Cante as Escrituras. Website: CanteAsEscrituras.com.br. Todos os direitos reservados. Original: Aprenda a louvar e pare de reclamar!