Autor: Thiago Oliveira

O problema da infantilização na adoração

Um dos maiores problemas de nossas liturgias – na verdade de nosso cristianismo, mas é mais evidente na liturgia – é a infantilização. Cultuamos como crianças que se recusam a crescer. Síndrome de Peter Pan, alguns dirão. Bem, chame como quiser, só não queira fazer parte do “bando dos meninos perdidos”. Isso é sério! Podemos demonstrar a infantilização a partir dos repertórios com músicas repetitivas, evasivamente alegres e aeróbicas. Já participou de algum momento de “louvor” que se enquadra neste cenário? Em alguns cultos a repetição e as dancinhas são tantas que dá a impressão de se estar no...

Read More

Epifania: Uma balada sobre a condição humana e a Graça de Deus

Esse texto não é propriamente uma análise de letra para saber se podemos cantar no culto a música Epifania – da banda gaúcha Tanlan. Não é uma canção litúrgica, não foi feita para o culto, mas é de um conteúdo bíblico maduro, envolto a uma bela melodia. Logo, esse texto visa contemplar a beleza desta música, mas precisamente de sua letra, identificando a cosmovisão influenciada pela antropologia reformada. A letra começa assim: “Não sou perfeito, nunca fui, eu sei. Do meu defeito nunca me livrei. E a cada dia eu percebo mais. Essa agonia rouba a minha paz”. Já...

Read More

Ninguém Explica Deus – Preto no Branco (Análise)

Uma música tem feito certo sucesso entre os evangélicos. Seu título é “Ninguém explica Deus” e quem canta é o grupo Preto no Branco. Vamos analisar a sua letra? Bem, a canção começa assim: Nada é igual ao Seu redor Tudo se faz no Seu olhar Todo o universo se formou no Seu falar Já dá para perceber que o compositor buscou exaltar a grandeza do Deus criador. Ele parte da cosmovisão bíblica que se encontra em Gênesis 1 e 2, onde diz que Deus criou todas as coisas, trazendo elas a existência ao falar “haja”. Logo após a palavra...

Read More

Auto-louvor: A Desgraça da Adoração Contemporânea

Se pegarmos um dicionário e lermos o verbete “Louvor”, encontraremos o seguinte significado: “Ato de enaltecer alguém ou alguma coisa; elogio, apologia”. Pois bem, quando falamos em louvar a Deus, isso implica em enaltecermos ao Senhor, e essa prática pode ser individual ou congregacional. Hoje o louvor tornou-se sinônimo de música para a igreja contemporânea, todavia, louvar não se resume a cantar. Obviamente, os hinos ou cânticos espirituais podem ser usados com essa finalidade. Encontramos na Bíblia referências a música como parte integrante da liturgia. Paulo aos Efésios dá a seguinte instrução: Efésios 5:19 – “Falando entre vós em salmos, e...

Read More

O Desserviço Prestado pela Indústria Gospel

Gospel é a palavra inglesa que quer dizer Evangelho. Pena que uma palavra tão bonita tenha sido manchada por uma indústria que se apoderou do termo para fazer dinheiro. Muito dinheiro! Embora venda de tudo, o segmento começou forte – e ainda é – no cenário musical. Gravadoras em parcerias com mega-igrejas lançaram muitos artistas, isso nos idos dos anos 90. Alguns destes nomes não mais estão na crista da onda, outros ainda fazem seus shows por aí. O que é certo mesmo é que o impacto negativo nas igrejas e o desserviço prestado a adoração litúrgica é enorme. É preciso muito trabalho para reverter tal situação. Para ser mais didático, irei elencar três pontos que evidenciam o porquê de sustentar que a indústria fonográfica, dita Gospel, tem prestado um desserviço a Igreja. 1- Alterou a concepção da adoração Quando a Igreja adora ao SENHOR com hinos de louvor, ela faz para honrar aquele que é o Cabeça do corpo, exaltando seus atributos. E existe um princípio de que quando Deus é louvado, nós diminuímos para que a sua glória resplandeça e nos envolva. Geralmente é (ou deveria ser) um momento de contrição e contemplação. Outra coisa é que no culto cristão a razão nunca deve ser deixada de lado, pois, devemos refletir sobre aquilo que confessamos. Logo, quando cantamos, não podemos deixar de meditar nas letras das canções....

Read More